Acesse aqui: Plataforma Logística | Internet Banking | Acesso ao Target TMPay

Não realizamos mudanças e não solicitamos códigos por telefone. Ainda com Dúvidas? Acesse nossas dicas de segurança.

Seguro DPVAT vai voltar? Confira as novas regras

Seguro DPVAT: vai voltar?

O novo DPVAT foi aprovado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e agora passa a ter outro nome e novas regras. O novo seguro será chamado de Seguro Obrigatório para Proteção de Vítimas de Acidentes de Trânsito (SPVAT).

A antiga medida foi extinta em 2019, desde então, a Caixa Econômica Federal ficou responsável por administrar os recursos que já haviam sido arrecadados.

Segundo o governo, o dinheiro disponível foi suficiente para pagar os pedidos de seguro das vítimas de acidentes de trânsito até novembro do ano passado. De lá para cá, os pagamentos foram suspensos.

O DPVAT passará a se chamar Seguro Obrigatório para Proteção de Vítimas de Acidentes de Trânsito (SPVAT).

Este seguro, segundo a Caixa Econômica Federal que administra o fundo de indenizações, é o pagamento referente a danos pessoais causados por veículos automotores de vias terrestres, que também se estende para acidentes que envolvam a carga desses veículos, a pessoas transportadas ou não por eles. 

Continue neste artigo para entender as mudanças.

Qual a importância do SPVAT?

A indenização tem como objetivo amparar vítimas de acidentes de trânsito de todo o território nacional, não importando quem seja o culpado pelo ocorrido. 

Com a extinção do DPVAT pelo governo anterior, uma preocupação emergiu com relação à segurança financeira das vítimas de acidentes de trânsito, especialmente motociclistas que comumente não possuem seguro privado. 

O fim do DPVAT retirou uma importante proteção e deixou um vácuo na cobertura que foi provisoriamente preenchido com recursos federais de um fundo gerido pela Caixa Econômica Federal.

O SPVAT não irá cobrir danos materiais relacionados aos veículos, apenas danos pessoais de acordo com três segmentos principais, são eles:

1- Despesas de Assistência Médica e Suplementares: pagamento para despesas realizadas pela vítima, em consequência do acidente, incluindo despesas hospitalares, fisioterapias, medicamentos, equipamentos ortopédicos, próteses e outras medidas terapêuticas prescritas pelo médico ou fisioterapeuta;

2- Invalidez Permanente: concedida àqueles que tiveram, em consequência de acidente, perda ou redução da funcionalidade de um membro, ou órgão, quando esgotada a possibilidade de recuperação. Também passam a ser pagos serviços funerários e despesas com a reabilitação profissional de vítimas que ficarem parcialmente inválidas. Além disso, os pedidos de indenização e assinatura de documentos podem ser feitos por meio eletrônico.

3- Morte: indenização concedida a herdeiros de vítimas de acidentes de trânsito, incluindo cobertura para serviços funerários.

No caso de morte, caso não seja comprovado o nexo de causa e efeito entre a morte e o acidente apenas com a certidão de óbito, o interessado deverá apresentar certidão da autópsia emitida pelo Instituto Médico Legal (IML), mesmo sem que ela tenha sido requisitada pela autoridade policial.

Para solicitar a indenização, as vítimas precisam apresentar um pedido justificando o acidente de trânsito como prova. O recurso fica disponível para qualquer pessoa que se envolver em um acidente de trânsito, independente do veículo.

A governança do fundo será feita pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), e a fiscalização ficará a cargo da Superintendência de Seguros Privados (Susep). As indenizações serão pagas exclusivamente por crédito em conta bancária.

Novas Regras 

1- Terá direito à indenização quem sofreu acidente ou companheiro e herdeiros da vítima, em caso de morte;

2- O pagamento da indenização deve ocorrer em um prazo de 30 dias;

3- O licenciamento do veículo só será concedido a partir do pagamento do SPVAT, assim como a transferência de proprietário e a baixa do registro do carro;

4- Os estados podem fechar convênio com a Caixa para que o pagamento do SPVAT seja feito junto com o licenciamento ou com o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA);

5- Estados que efetuarem a cobrança poderão receber até 1% do montante arrecadado;

6- Estados e municípios que oferecerem transporte público coletivo ainda vão receber de 35% a 40% do dinheiro arrecadado.

Quanto vai custar?

O valor do SPVAT ainda será definido, mas deverá ser incluído no Licenciamento 2024, como era feito até 2020. Ou seja, os proprietários vão pagar o seguro e o Licenciamento em um único boleto

Um estudo do Ministério da Fazenda estima que a tarifa deverá variar entre R$ 50 e R$ 60 e o pagamento do SPVAT pode mudar de acordo com o tipo de veículo.

Não pagar o DPVAT gera multa?

Sim, o texto aprovado na Câmara prevê que o não pagamento do seguro obrigatório resultará em multa, conforme consta no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). E poderá ser de R$ 195,23, que é o valor de uma infração grave. 

Para continuar informado sobre o assunto, acompanhe o Blog do Trecho.

  • Roubo de cargas e segurança nas estradas
    A preocupação com roubos de carga, infelizmente, é uma realidade para o transporte rodoviário de cargas. Por isso, é necessário que motoristas e gestores estejam preparados para lidar com essa difícil situação. 

Inscreva-se para acompanhar nossas novidades!

Quem leu esse artigo também gostou de:

Roubo de cargas e segurança nas estradas
Target Log
Target Bank

Roubo de cargas e segurança nas estradas

A preocupação com roubos de carga, infelizmente, é uma realidade para o transporte rodoviário de cargas. Por isso, é necessário que motoristas e gestores estejam preparados para lidar com essa difícil situação. 

Leia mais

SAC Caminhoneiros

(21) 3030-9100
Capitais

0800-282-22-12
Demais localidades

SAC Contratante

(21) 3500-5111

SAC Rede Credenciada
Target TMPay

(21) 3995-3495
  • Av. Embaixador Abelardo Bueno, 1111, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, 22775-039
  • Canal de Ética
  • Código de Ética
  • Política de Privacidade
  • CIOT Gratuito
  • Rendimento CIOT

Quer receber mais conteúdos que vão te deixar informado sobre o Transporte de Cargas?

Inscreva-se na nossa Newsletter